A chegada de 2024, trouxe alguma (pouca) esperança aos adeptos do GDC, nas últimas semanas de 2023 foram várias as vezes em que o Presidente da SAD se dirigiu a nós no sentido que as coisas poderiam mudar, e foram muitos os que pensaram que realmente iria ser assim.

 

No entanto com a chegada de janeiro, percebemos que não seria assim tão rápida essa mudança, e apesar de alguns jornais no dia 2 noticiarem a chegada de reforços até ao final da semana, eis que chegados a sábado, e com um jogo importantíssimo à porta, os reforços não chegaram.

 

Todos os dias nos levantamos com a esperança de ver publicado a apresentação de alguém que venha tentar (pelo menos) acrescentar algo a uma equipa que tem demonstrado demasiadas fragilidades, e todos os dias nos deitámos com um sabor amago a pensar “amanhã é que vai ser”.

 

E isso nem era o pior, o pior era ver os adversários (que nem estão tão mal), a reforçarem-se. Hamache no Arouca, Jota Gonçalves no Vizela, Rodrigo Pinho no Estrela, Danho no Famalicão, Mika no Moreirense, Aziz de regresso ao Rio Ave, Tamble e Hildeberto (que está por horas) no Portimonense … até os primeiros classificados se reforçaram com o Benfica a contratar Marcos Leonardo e o Sporting a assinar com Rafael (ex-Leixões), e nós? Nós, últimos classificados com a pior defesa da Liga Portugal e com apenas 10 pontos, continuamos à espera.

 

Ainda assim, mantenho a esperança de que a próxima semana, depois da passagem dos Reis Magos, nos traga novidades.

 

Mas falemos um pouco do jogo de amanhã.

 

Moreno falou hoje à imprensa onde prometeu “um Chaves muito próximo ao que foi no Dragão”, o que nos faz pensar que irá manter a tática de 4x3x3 com que jogámos frente ao FC Porto.

 

Para mim é até uma boa notícia, no sentido que a equipa defensivamente melhorou e chegamos a ter inclusive alguns bons momentos na invicta. O problema?

 

Lá está, mesmo com a confirmação que iriamos perder jogadores para a CAN, os reforços não chegaram, e obrigatoriamente o treinador dos Valentes Transmontanos terá de fazer mexidas. Logo na defesa Sandro Cruz, que se tem afirmado como o melhor central do plantel, vai ter de regressar à posição de origem para colmatar a saída de Bruno Langa, o que abre espaço no centro para a entrada de Steven Vitória ou até de Cafú Phete, uma vez que João Queirós não tem merecido a confiança do treinador, e Ygor Nogueira é um dos 3 lesionados.

 

Do lado direito, soubemos hoje que João Correia renunciou à sua participação na CAN, o que deixa em aberto a sua titularidade embora os mais atentos tenham visto que saiu tocado no Dragão e por tanto fica por saber a condição física do jogador.

 

No meio-campo, Guima (outro titular no último jogo) também está fora das opções, sendo mais uma mudança obrigatória no onze inicial, sendo que João Pedro tem estado muito aquém do esperado, Hélder Morim ou o já recuperado Pedro Pinho, ganham forças para substituir o internacional moçambicano. A outra mudança que será obrigatória parece ser na baliza. Ao que a Comunidade Azul-Grená apurou, Rodrigo Moura lesionou-se e será baixa de última hora, prevendo-se um regresso de Hugo Souza à titularidade.

 

Posto isto e como já foi dito, ainda sem reforços, não se adivinha um jogo fácil para os Valentes Transmontanos que uma vez mais entram em campo pressionados pela necessidade de pontos.

 

Se tivesse de arriscar, penso que Moreno irá apresentar o seguinte onze: Hugo Souza; Carraça, Bruno Rodrigues, Cafú Phete e Sandro Cruz; Kelechi, Hélder morim e Rúben Ribeiro; Sanca, Jô e Héctor.

 

Vamos aguardar pela hora do jogo e desejar que a semana nos traga os tão necessários reforços.

 

Slvkov

Deixe um comentário

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Artigos Relacionados

P