Editorial: Quo Vadis, formação do Desportivo de Chaves?

Fonte: GD Chaves

 

Das camadas jovens sai um momento surreal: os juvenis viram uma vitória por 5-1 com a Diogo Cão passar a derrota na secretaria. Porquê? Os flavienses usaram um jogador suspenso por acumulação de amarelos.

 

O episódio é cómico por um lado, dramático por outro e tem de causar preocupação no universo azul-grená. Um erro de tamanho amadorismo que se junta a outros, acumulados ao longo das épocas, numa espiral que parece difícil de travar.

 

(Des)coordenação na formação

 

 

Enquanto a equipa principal, gerida pela SAD, caminha para a manutenção na Primeira Liga, as camadas jovens estão aos papéis: os iniciados estão a ter uma época atribulada, mas há confiança na manutenção, os juvenis estão quase a cair para a distrital numa época paupérrima e os juniores salvam a honra do convento, ao lutarem pelo promoção à I Divisão.

 

É inqualificável tamanha diferença entre as equipas. Cada fornada está à mercê de quem quer que seja o treinador e ninguém tenta juntar os cacos. Estamos a ser ultrapassados pela direita por clubes que nem deviam ser comparados com o GD Chaves.

 

Agora, estamos em risco de desperdiçar gerações tal é o desnível competitivo entre cada escalão, com jogadores a terem de saltar da distrital de juvenis para a I Divisão de juniores em duas épocas. Isto é cair no ridículo de ter instalações de qualidade, mas depois a estrutura estar às aranhas.

 

As consequências para a equipa principal e SAD

 

Juvenis do Desportivo de Chaves
Juvenis estão a ter uma época para esquecer e podem cair para as distritais Fonte: GD Chaves

 

Já sabemos que o Santo Graal no Municipal é o plantel sénior, ainda para mais estando na Primeira Liga. Não é surpresa, mas qualquer plano a longo-prazo está em sério risco e há muito dinheiro a ser desperdiçado.

 

Com as camadas jovens à deriva, não saem jogadores com estaleca para a equipa principal, há dúvidas se uma futura equipa sub-23 venha a ser viável e, pior de tudo, está-se a desperdiçar uma verdadeira fortuna em direitos de formação.

 

O GD Chaves, enquanto único clube transmontano na Primeira Liga, devia ser um farol para o futebol e desporto em geral na região. Na realidade, isso só se vê na equipa principal, com as equipas jovens a estarem cada vez mais possuídas pela mediocridade.

 

Mudanças são exigidas. Tragam alguém que meta ordem na casa de uma vez. Um diretor para o departamento de formação que, no mínimo, saiba quem está suspenso ou não.

Outras publicações