Mercado de Transferências

Marcão – Jovem central fecha a defesa

Desportivo foi ao Brasil buscar o quarto elemento para o centro da defesa, depois deste ter já feito uma temporada no Rio Ave, por empréstimo do Atlético Paranaense.

 

Aí está a sexta contratação do Chaves para a próxima época: Marcão, defesa-central brasileiro de 22 anos, é a mais recente aquisição de um Chaves que tanto precisava reforçar o centro da defesa após o regresso de Domingos Duarte a Alvalade. O jogador passou a última temporada no Rio Ave, onde contou com a primeira experiência fora do Brasil, e conseguiu os minutos que tanto precisava, mostrando dotes defensivos bem como algumas atitudes menos recomendáveis a um defesa, mas chega a Trás-os-Montes com vista a consolidar-se no futebol português e vir a ser um elemento útil para Daniel Ramos.

 

As dificuldades de afirmação no Brasil e a solidez em Portugal

 

Aos 22 anos, Marcão prepara-se para a segunda aventura fora do Brasil, mantendo-se em Portugal depois de uma temporada sólida ao serviço do Rio Ave. Em Vila do Conde, viu o seu tempo de jogo oscilar várias vezes entre a titularidade e a não-utilização, num sector “tapado” por Marcelo e Nélson Monte. De verde-e-branco participou em 25 jogos em todas as competições da época passada, em 16 deles completou os 90 minutos.

 

Esta acabou por ser mesmo uma das temporadas com mais tempo de jogo do defesa na carreira sénior depois de várias experiências, por empréstimo do Atlético Paranaense, ao serviço de quatro equipas brasileiras. No Avaí, em 2014, apenas fez um jogo, depois foi para o Guaratinguetá no no seguinte onde participou em oito jogos, mas foi na Ferroviária de São Paulo que passou o seu melhor período no Brasil, ao fazer 18 jogos e conseguir uma oportunidade na casa-mãe, em que acabou por fazer 12 jogos no Brasileirão. Em 2017 voltou a ter uma oportunidade no Furacão, onde fez mesmo o seu primeiro golo sénior, mas voltou a ser emprestado ao Atl. Goianense, onde quase não jogou.

 

Depois de todas as dificuldades para se afirmar no futebol brasileiro, deu o “salto” para a Europa na última temporada para representar o Rio Ave, onde conseguiu, como dissemos, ter finalmente tempo de jogo. Marcão agradou tanto a Miguel Cardoso que chegou mesmo a ser considerado o substituto de Marcelo (que assinou pelo Sporting) no centro da defesa rioavista, mas a demora em accionar a cláusula de compra levou o defesa a ter de fazer carreira noutras paragens.

 

Com a ida para Chaves, mantém-se na sua aventura portuguesa, mas terá de se adaptar a um outro futebol que aquele que trabalhou em Vila do Conde com Miguel Cardoso e terá, novamente, uma concorrência feroz pela titularidade, mas também terá, certamente, a sua oportunidade de mostrar o seu valor.

 

A consolidação em Vila do Conde manchada pela indisciplina

 

Em Vila do Conde o central encontrou o tempo de jogo que tanto lhe fazia falta na carreira, contabilizando mais de 1700 minutos com a camisola rioavista. Porém, outra faceta de Marcão surgiu no estádio dos Arcos: a indisciplina. Ao longo da época passada, o brasileiro acabou expulso três vezes, um número alarmante para um jogador que se quer consistente e de cabeça fria. Para juntar o insulto à injúria, uma das expulsões por vermelho direto aconteceu por agredir um adversário com a perna num salto… Apenas cinco minutos após entrar em campo.

 

Pode-se considerar esta indisciplina imprópria para um defesa a consequência da adaptação ao futebol europeu e a falta de aprendizagem ao nível do controlo do seu físico, já que Marcão tem uma constituição física considerável (1,85 metros e 80 quilos). Porém, terá de saber controlá-la para evitar desfalques desnecessários no onze de Daniel Ramos.

 

Porém, Marcão revelou-se um defesa sólido e cumpriu uma defesa bastante forte com Marcelo durante o início da temporada, mas problemas familiares levaram a um declínio de forma por alturas de novembro. Apesar de tudo, com a tenra idade do jogador e as boas indicações na estreia em Portugal, o central tem tudo para ser um central importante nas contas do Desportivo, que contará com três centrais jovens de grande qualidade (Marcão, Hugo Basto e Maras) além de uma voz da experiência (Nuno André Coelho).

 

Bio do jogador:

 

Nome: Marcos do Nascimento Teixeira

Data de Nascimento: 05-06-1996

Posição: Defesa-centro

Carreira: 2014: Atlético Paranaense e Avaí; 2015: Atlético Paranaense e Guaratinguetá; 2016: Ferroviária e Atlético Paranaense; 2017: Atlético Paranaense e Atlético Goianense; 2017/18: Rio Ave.

LEAVE A RESPONSE

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *