Mercado ao domingo: Começou a debandada no plantel

Fonte: GD Chaves

Muitas mexidas nesta primeira semana de trabalho após a confirmação da descida à Segunda Liga. Com o plantel debaixo de fogo, com muitas críticas por parte da massa associativa acerca da falta de empenho e dedicação, além de constante desrespeito por adeptos e pela camisola que envergavam, as rescisões apareceram sem grandes surpresas logo na segunda-feira, com a confirmação que Ghazaryan tinha rescindido contrato com o Desportivo de Chaves, que se alargava por mais uma temporada. O arménio foi vital no empate dramático 2-2 contra o Benfica em setembro, mas lesões e queda de rendimento fizeram-no perder espaço na equipa, produzindo pouco para aquilo que o currículo mostra.

 

Também o capitão de equipa Renan Bressan decidiu sair do Chaves, após duas épocas e meia de azul-grená, onde teve grande impacto quando chegou, mas foi perdendo gás ao longos das temporadas. Esta época, foi uma das grandes desilusões da temporada, com pouco rendimento em campo além de se ter tornado segunda escolha nas bolas paradas, não marcando um golo de livre – a sua imagem de marca – há dois anos. O lateral-esquerdo Luís Martins foi outro nome que decidiu não acompanhar o Desportivo nesta descida à Segunda Liga, após 21 jogos e um golo marcado de azul-grená, numa época em que, apesar da carreira interessante do jogador lamecense, nunca conseguiu-se impor no onze flaviense.

 

Ghazaryan foi o primeiro jogador a deixar o Desportivo após a descida

 

O último jogador até agora a anunciar a saída foi António Filipe, com o guarda-redes a finalizar o contrato que tinha com o Chaves, saindo depois de quatro temporadas em Trás-os-Montes, onde fica na retina um par de defesas decisivas para a subida de 2016, além do épico desempate por penáltis frente ao FC Porto em 2016/17 para a Taça de Portugal, que valeram ao Desportivo seguir em frente na prova, onde só cairiam nas meias-finais frente ao Vitória SC.

 

Para além das confirmações, correm também muitos rumores sobre a continuidade de vários jogadores do plantel com Niltinho a ser ligado pela imprensa brasileira a um regresso ao CSA, deixando o Desportivo após uma temporada em que disputou 31 jogos e marcou cinco golos. Também Paulinho pode sair, com o jornal A Bola a divulgar que há interessados no lateral-direito que deixará, assim, o Municipal Eng.º Manuel Branco Teixeira após duas temporadas e meia de azul-grená. A mesma publicação fala na possibilidade de mais duas saídas: o guarda-redes Ricardo Nunes e o médio Costinha, com os dois jogadores a terem interessados nos seus serviços.

 

Entretanto também houve saídas a nível diretivo, com Paulo Grencho, sem grandes surpresas, a receber guia de marcha numa temporada onde pareceu não ter mão no mercado de transferência e onde aceitou ser relegado para segundo plano, cumprindo funções mais próximas de um delegado que de um diretor desportivo. Foi no departamento de futebol que se deu, também, a única contratação até agora para a próxima temporada, com um aclamado regresso de Nélson Lenho a Trás-os-Montes – onde jogou durante três temporadas – agora para ficar com a pasta do futebol profissional dos Valentes Transmontanos.

Outras publicações

Leave a Comment