Do Melhor ao Pior

Do Melhor ao Pior no… GD Chaves-Feirense: Parabéns, são todos horríveis

Que dor na alma que é ver esta “equipa” a jogar. No 22.º desfile de vergonha alheia da temporada, muito há a dizer sobre o que certos tipos que vestem uma camisola azul-grená fizeram em campo. Deplorável.

 

Ricardo Nunes – 3: Se achavam que os 38 anos de Ricardo não pesavam, desenganem-se. O guarda-redes do Desportivo está claramente em baixo de forma fisicamente e isso notou-se no primeiro golo do Feirense, em que ficou a ver a bola entrar na baliza. Pede-se muito mais a um guarda-redes tão experiente.

 

Jean Felipe – 5: Limitado, mas lá se foi fazendo útil uma vez ou outra. Claramente não é muito superior a Rafael Viegas, mas já não faz tanto disparate como no início da época. Já o próximo jogador da lista…

 

Kevin Medina – 1: Que cepo! Como é que conseguiu enganar-nos no início da época e parecer alguma coisa de jeito? Péssimo, péssimo, péssimo. Não sabe passar uma bola, tem tijolos em vez de pés e é de uma passividade atroz. O segundo golo é culpa apenas e só dele, que deixou Fati fazer o que bem lhe apeteceu e nem causou chatices ao extremo do Feirense. E pensar que este “jogador” tirou o lugar ao Calasan é ridículo. Mais valia apostar em miúdos da Satélite (olá, Marlon).

 

Diego Galo – 5: Nota-se que as pernas já não são o que eram, mas ao menos sabe dar uso a toda a experiência que tem. Mostra inteligência a sair a jogar e nem falhou muito durante todo o jogo. Agora, tem é de ter um parceiro a sério.

 

José Gomes – 2: José Gomes parece que anda a aprender com Francisco Carvalho. Enquanto o mecenas do Chaves meteu dois campos de treinos atrás do Municipal e deu-lhes o próprio nome, já o lateral decidiu meter uma auto-estrada na ala esquerda do Desportivo e chamar-lhe “José Gomes”. Uma piada autência, foi uma nulidade a atacar e nem se dava ao trabalho de descer para defender. Que desilusão…

 

João Gamboa – 5: Safou-se. Não comprometeu muito e até soube distribuir a bola, mas não é o jogador colossal que se esperava, tendo em conta que temos aqui um internacional sub-21. Passa.

 

João Teixeira – 7: A diferença que faz ter um jogador de futebol em campo. João Teixeira mostrou bons pormenores ao longo do jogo, mas claramente notou-se que era um oásis no deserto de ideias que é o Chaves.

 

Bernardo Martins – 4: Meteram um médio a extremo. O que estavam à espera que acontecesse?

 

Benny – 4: Nem se percebeu em que posição jogou o ex-Belenenses SAD. Mas não foi nada de especial.

 

Platiny – 6: Esforçado, lá tentava criar alguma coisa no ataque e pareceu sempre inconformado com a má prestação da equipa. Faltou o golo.

 

André Luís – 5: O que é que acontece quando temos o melhor “matador” da Segunda Liga e não temos ninguém para lhe passar a bola em condições? Acontece isto…

 

Raphael Guzzo – 5: Entrou, deu mais capacidade técnica ao meio-campo, mas não brilhou propriamente.

 

João Batxi – 5: Foi giro ter um extremo a sério e que sabe cruzar em campo. É bom para quebrar a rotina de jogar sempre sem ninguém na ala.

 

Wellington – 7: Um extremo a marcar um golo! Impressionante! Realmente, quando se contratam jogadores para as posições certas acontecem coisas giras. Pena é que foi o único…

 

César Peixoto – 3: César, César, César… O que dizer sobre ti? És tu que escolhes o onze inicial? Vamos por partes: porque raio começaste o jogo sem extremos, enquanto estavam três (!) perdidos no banco? Para quê jogar com o Medina a titular quando todos já percebemos que ele é um completo inútil? Onde está o Calasan? Porque é que insistes em jogar no teu estilo de jogo com jogadores que não fazem ideia o que andam ali a fazer? Porque não apostas na Satélite? Tudo questões que gostávamos de ver respondidas, porque há muita coisa neste Desportivo que não fazem sentido nenhum. Para a semana há mais, mas é preciso dar um murro na mesa!

LEAVE A RESPONSE

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *