Equipa B ou Satélite: As diferenças

Participação da equipa secundária do Chaves a Taça deixou os adeptos flavienses e adversários extremamente confusos, pelo que tentamos explicar o que se passa.

 

Após o anúncio que a equipa secundária do Desportivo de Chaves iria participar na Taça de Portugal, muitas foram as vozes de confusão por haverem dois Desportivos na prova rainha do futebol português. Mas vamos apresentar aqui as diferenças entre uma equipa B e uma equipa satélite.

 

Equipas de diferentes instituições

 

Ao contrário das comuns equipas B, segundas equipas de plantéis profissionais que podem competir em competições seniores, as equipas satélite são clubes autónomos que são patrocinados por clubes profissionais.  Nos últimos anos, o Desportivo chegou a ter um satélite no Pedras Salgadas e alguns jogadores como Lamine Ba, Alioune Fall e Latyr aproveitaram essa parceria para rodar na Segunda B enquanto também disputavam ocasionalmente jogos na II Liga aí serviço do Chaves.

 

Porém, agora o Chaves Satélite é a equipa sénior do clube e serve de clube patrocinado pela SAD do Grupo Desportivo de Chaves. Desta forma, a SAD pode usufruir dos jogadores com contrato profissional enquanto que estes vão jogando na equipa satélite sempre que não forem necessários. Se for utilizados em mais que 10 jogos, no entanto, esses jogadores deixam de poder jogar pelo satélite.

 

Assim, a equipa satélite é mais limitada que uma normal equipa B, sendo a transição de jogadores entre equipa principal e satélite menos flexível.

 

Também por serem equipas de instituições diferentes é que a FPF decidiu que o Chaves Satélite pode jogar a Taça de Portugal, evitando a equipa da SAD flaviense até às final, como está no regulamento da federação.

 

Uma questão financeira

 

A diferença entre a equipa B e satélite também se reflete numa questão financeira. O GDC, enquanto equipa profissional, tem uma SAD que gere o futebol profissional, enquanto que o GDC Clube gere modalidades e camadas jovens, além do Clube ser financiado pelas quotas dos sócios.

 

Assim, ao haver uma equipa satélite no GDC Clube, significa que os jogadores que não tenham contrato profissional com a SAD sejam pagos pelo clube, fazendo parte do orçamento dessa instituição. Caso o Chaves tivesse uma equipa B, no entanto, a despesa dessa equipa secundária já seria bancada apenas pela SAD e o orçamento do futebol profissional sofreria com esse gasto extra.

 

Assim, o GDC Clube tem uma equipa de futebol sénior a disputar o Campeonato de Portugal e paga por si, enquanto a SAD tem uma equipa sénior profissional a disputar a Primeira Liga, havendo uma parceria entre SAD e Clube que faz da equipa do CPP um satélite da equipa profissional, conseguindo dividir-se o esforço financeiro e permitindo ao clube financiar todo o ciclo da formação,incluindo com uma equipa sénior.

 

Dez jogadores prontos a ser chamados à equipa profissional

 

Esta época a SAD do Chaves ofereceu contratos profissionais a sete jovens jogadores – Ruca, Marlon, Simão Martins, Faissal, Afonso, Sangaré e Ibrahim – que fazem agora parte da equipa satélite, juntando-se também os contratados João Paulo, David Moura e João Paredes.

 

Assim, estes 10 jogadores podem juntar-se ao plantel profissional, enquanto os restantes jogadores da equipa satélite têm de esperar por um contrato profissional com a SAD. Também foi por esta razão que todos os jogadores da equipa satélite estavam indisponíveis para se estrearem na equipa principal.

 

Basicamente, para os jogadores jogarem pela equipa principal e pela equipa satélite, têm obrigatoriamente de ter contrato com a SAD, pelo que há vários jogadores na equipa satélite que estão impossibilitados de se estrearem pela equipa da SAD.

 

Conclusão

 

Percebe-se finalmente que há uma separação entre SAS e Clube e que estão longe de ser a mesma coisa, nem contando com os mesmos orçamentos ou órgãos sociais, além de serem duas entidades vistas de forma bastante diferente pela Federação Portuguesa de Futebol. Além das diferenças entre as duas instituições com o nome do Desportivo, também uma equipa B tem um regime bastante diferente de uma equipa satélite, apesar de se ter intitulado durante a última época o Chaves Satélite de Chaves B, apesar dessa não ser a realidade.

Esperemos que tenhamos esclarecido todas as vossas dúvidas e, para mais informações, podem analisar o Regulamento de Acordos de Patrocínio com Clubes Satélite!

Start a Conversation

O seu endereço de email não será publicado.