Niltinho – Aí está o extremo que faltava

O Desportivo de Chaves voltou ao mercado em busca do tão esperado extremo que faltava no plantel e a escolha caiu no brasileiro ex-CSA, da Série B do Brasil.

 

Ao longo da pré-época os adeptos flavienses aclamavam por um novo extremo que não só fizesse esquecer Matheus Pereira como também desse à equipa a tão desejada capacidade de finalização e construção de jogadas de perigo para o conjunto azul-grená. Após o último embate de pré-temporada, diante do Gijón, Daniel Ramos confirmou que o brasileiro Niltinho, de 24 anos e ao serviço do CSA por empréstimo do São Caetano, seria a escolha dos responsáveis flavienses para atacar a próxima temporada.

 

Uma carreira de clube em clube até chegar a aventura europeia

 

Nilton Rodrigues, nome de batismo do mais recente reforço do Chaves e rebatizado para o futebol como Niltinho, nasceu no estado de São Paulo em 1993, apareceu no mundo futebolístico ao serviço do São Caetano, clube também de São Paulo. Depois de três anos com pouco espaço no clube paulista o extremo começou uma panóplia de empréstimos aos mais variados clubes, que começou com uma cedência ao União Barbarense, onde fez 15 jogos e marcou um golo, seguindo-se o Volta Redonda em 2015, onde fez apenas 13 jogos mas marcou quatro golos.

 

Depois de uma passagem discreta pelo Joinville, Niltinho contou com a sua primeira e, até agora, única aventura fora do Brasil, ao serviço dos coreanos do Daejeon Citizen, onde jogou 12 encontros e não fez o gosto ao pé. Regressou ao Brasil e ao Volta Redonda onde fez 15 jogos e marcou um golo, mas ainda em 2016 seguiu para o Criciúma, da Série B, onde fez 31 jogos e marcou 3 golos. Em 2017 foi emprestado a mais dois clubes, primeiro à Chapecoense, do Brasileirão, sendo um dos muitos reforços após o desastre na Colômbia que vitimou grande parte da equipa, e fez 22 jogos no Verdão, divididos entre os estaduais, Recopa Sudamericana e Libertadores, marcando três golos. Acabou por mudar para o Atlético Goianense, mantendo-se numa equipa do Brasileirão, onde fez 19 jogos e marcou um golo.

 

Este ano teve finalmente uma oportunidade ao serviço do São Caetano, onde fez 11 jogos antes de ser mais uma vez emprestado, agora ao CSA, clube alagoano. Até agora foi titularíssimo na equipa azul-e-branco, com 17 jogos e dois golos já com a assinatura do extremo que agora vestirá de azul-grená.

 

Carreira sólida no Brasil “falhou” nos clubes maiores

 

Após uma carreira com tantas experiências em tão pouco tempo, Niltinho chega a Portugal à procura da consistência que nunca teve no Brasil, não o nível exibicional, mas ao nível de grupos de trabalho e projetos que representa. A sua passagem pela Série B brasileira foi bastante produtiva e mostrou grandes pormenores o serviço, principalmente, do Volta Redonda e Criciúma, isto além de ter estado pedra e cal no CSA até agora.

 

Porém, quando chamado ao Brasileirão e logo ao serviço de uma equipa na Libertadores como foi o caso da Chapecoense, Niltinho realizou um bom número de jogos mas as exibições não satisfizeram os adeptos de Chapecó, que lhe puseram uma “cruz” em cima.

 

Sendo um extremo rápido, com raça e bastante dedicado, Niltinho tem talento para se tornar num jogador importante na equipa flaviense e a experiência em Portugal, uma liga mais tática, pode ser precisamente o que o extremo brasileiro precisa para ter uma carreira de respeito, além da estabilidade que vem com um contrato definitivo com um emblema, o invés de continuar o ciclo de empréstimos a que o São Caetano o obrigou a passar.

Falta saber como se adaptará ao futebol luso, mas esperemos ter aqui o extremo que tanto faltava ao Grupo Desportivo de Chaves.

Start a Conversation

O seu endereço de email não será publicado.