Vítor Campelos quer reforços: “Administração está atenta”

Vítor Campelos quer reforços para o ataque
Fonte: GD Chaves

 

O Desportivo de Chaves volta a jogar para a Primeira Liga esta sexta-feira e, mês e meio depois, espera manter o estatuto de equipa-sensação da época. Em entrevista à Alto Tâmega TV, Vítor Campelos fala dos jogadores, do bom campeonato, da desilusão nas taças e ainda aborda o mercado de transferências.

 

Avançado procura-se: “Talvez tenhamos que ir buscar alguém”

 

Héctor Hernández está lesionado e é baixa durante um mês Fonte: GD Chaves

 

Janeiro está aí à porta e o treinador dos flavienses admite que há falhas no plantel: “Vai abrir o mercado e a administração está atenta. Sabe das nossas necessidades, temos menos dois jogadores na linha atacante. Mas temos o Jô, o Juninho pode jogar a avançado. O treinador é pago para encontrar soluções, mas talvez tenhamos a necessidade que chegue mais alguém.”

 

Mesmo com um plantel limitado, o Desportivo consegue resultados e Campelos justifica com a união na equipa: “Há sempre jogadores que jogam mais que outros, mas o importante é terem todos o mesmo espírito, a ideia de família, quando um está feliz, os outros estão felizes. Todos têm dado o máximo.”

 

Chaves “dá o máximo em todos os jogos”

 

 

Para o campeonato bem conseguido, a capacidade de trabalho é um dos pontos fulcrais para o técnico do Desportivo de Chaves, onde o fator financeiro também é tido em conta: “Prometemos dar o máximo em todos os treinos e todos os jogos. É difícil jogar contra nós, somos uma equipa organizada e competitiva. É uma equipa que dá gosto ver jogar. O Chaves é uma equipa vendedora e queremos ajudar a potenciar jogadores.”

 

O bom espírito de balneário nota-se nas entrevistas de Héctor Hernández e João Teixeira, com rasgados elogios para Vítor Campelos: “É sempre bom ser reconhecido, ainda para mais da parte dos jogadores. Estamos sempre preocupados com a parte humana dos jogadores, depois é ajudá-los a tirar o maior potencial. O Mendes também tem tirado partido, como o Guima. Temos de lhes agradecer por acreditarem e têm sempre aqui alguém com quem podem contar.

 

A desilusão nas Taças

 

Desportivo caiu na Taça de Portugal frente ao Valadares Gaia Fonte: GD Chaves

 

O ponto negativo desta época está nas competições a eliminar. A Taça de Portugal, troféu querido para os adeptos do GD Chaves, voltou a ditar uma eliminação com uma equipa inferior, enquanto na Taça da Liga o Desportivo sai sem qualquer vitória. O treinador explica.

 

“Muitas vezes, quando chegam estas competições, há a expetativa de quem joga menos poder jogar. E há um pau de dois bicos: ou o treinador não aposta neles e eles ficam desmoralizados, ou dá oportunidade e a dinâmica não é a mesma. Os automatismos não são os mesmos.”

Outras publicações