Crónicas do Topo Sul

GD Chaves 0-0 Feirense: Empate amargo, mas um ponto é um ponto

Foto: Liga Portugal

Valentes Transmontanos penaram na finalização e acabaram por conseguir apenas um nulo no primeiro jogo de 2019, o que marca o fim de uma seca de 8 jornadas sem pontuar.

Não foi, certamente, o início da remontada que os adeptos do Desportivo esperavam para a primeira jornada do ano, com a recepção do também aflito Feirense. Num jogo onde se viram bons pormenores dos comandados de Tiago Fernandes, o Chaves acabou por falhar na finalização e voltou a não conseguir vencer no campeonato. Por outro lado, terminaram duas secas num jogo: há oito jornadas que o Desportivo não pontuava (desde o empate diante do Benfica) e desde a segunda jornada (!) que não conseguia terminar um jogo sem sofrer golos.

Numa jornada importante para as aspirações flavienses, o técnico Tiago Fernandes lançou de início o reforço Luther Singh, e que reforço se revelou! Além do sul-africano, também Platiny e Gallo voltaram ao onze inicial, repetindo a fórmula que tão bem jogou na segunda parte frente ao Varzim.

O jogo começou morno e a primeira oportunidade digna de registo gelou o Municipal de Chaves. Crivellaro atirou de fora da área e António Filipe, num pato como há muito não se via, defendeu para dentro da baliza, mas o lance foi invalidado por fora-de-jogo de um homem forasteiro. O Desportivo foi respondendo, procurando um golo que aliviasse o conjunto azul-grená, mas William foi incapaz de bater Brígido aos 37 minutos, num lance de confusão na área em que o avançado brasileiro atira com pouca força à baliza e permite a defesa ao guarda-redes mesmo em cima da linha.

Na segunda parte voltou a ser o Chaves a mostrar mais e com uma figura em evidência: Luther Singh. O extremo sul-africano deu magia ao ataque flaviense e não teve medo de visar a baliza contrária. Primeiro aos 50 minutos a cabecear por cima, depois aos 72′ com um remate de longe que Brígido defendeu para a frente, com William a não conseguir uma recarga em condições. Ainda respondeu o Feirense com um remate de longe, que António Filipe evitou com uma grande defesa, mas era o Chaves que queria mais os três pontos, que podiam ser conseguidos numa grande penalidade assinalada já nos 80 minutos por derrube a Djavan, mas após ir ao VAR Artur Soares Dias invalidou o lance e amarelou o lateral flaviense. Já perto do fim, último toque de qualidade de Luther Singh, com uma desmarcação brilhante para dentro de área, mas o cabeceamento voltou a sair por cima e o nulo não foi quebrado.

Os adeptos podem acabar por sair do estádio frustrados, mas o futebol do Chaves tem melhorado a olhos vistos e, com os reforços certos e com o “boost” de confiança de uma vitória futura, podemos ter equipa para nos libertar do flagelo da despromoção nas próximas jornadas.

Porém, o ataque tem estado aquém e se antes eram os alas que não conseguiam assistir os avançados, agora são os homens-golo que têm deixado mal a equipa, com tanto golo falhado que podem custar caro no futuro. Ainda falta todo o mês de janeiro para aparecerem reforços, pelo que aguardamos pelas mudanças que aí venham. Na próxima jornada há deslocação a Setúbal, para defrontar o Vitória local, no domingo às 15H00.

LEAVE A RESPONSE

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *