Visto da Descoberta

OPINIÃO: Scouting precisa-se com urgência no GD Chaves

Fonte: GD Chaves

 

Mais uma época e, mais uma vez, o GD Chaves desilude: o plantel está recheado de jogadores teoricamente fortes mas que, na prática, não resultam juntos. Este é um problema que vem sendo normal no Desportivo desde a saída de Luís Castro. A solução? Arranjar um departamento de olheiros – o chamado scouting.

 

Não há plano com futuro que sobreviva a catálogos de empresários e a chamadas para antigos jogadores voltarem ao Municipal. No entanto, é exatamente isso que temos visto nos últimos anos. Enquanto temos um dos plantéis mais caros da Segunda Liga, vemos equipas como o CD Mafra a passar-nos à frente com menos de metade do orçamento.

 

Para mudar isto de uma vez, é preciso montar um departamento para observar jogadores, coisa que todos os clubes fazem menos o GD Chaves… e os resultados estão à vista.

 

Desde a saída de Luís Castro que o departamento de scouting foi descontinuado Fonte: GD Chaves

 

Nos últimos anos, jogadores como Zaidu, João Amaral, Miguel Crespo ou Marco Baixinho despontaram nas divisões inferiores e foram pescados por clubes de Primeira Liga ou têm brilhado na Segunda. Jogadores que já deram muito dinheiro aos clubes que apostaram neles, enquanto o Desportivo só procura o veterano caro.

 

Perguntam-se: “então, quem é que faria parte deste departamento?”. O que não falta são pessoas capazes de encontrar jogadores de qualidade e que sabem mexer na mais recente tecnologia de análise a jogadores, até mesmo em Trás-os-Montes.

 

Carlos Pintado, flaviense que é observador no FC Porto, é um exemplo, apesar de muito provavelmente não querer voltar ao Desportivo. João Alves, um dos melhores jogadores formados no Chaves, disse no verão que gostava de voltar ao futebol e apontou o scouting como uma falha do clube. Tem contactos para ter sucesso nesta área. Fora os antigos elementos da equipa satélite, que tinham mais jeito para encontrar jogadores que a equipa principal (veja-se o caso do Batxi).

 

É impossível o GD Chaves ambicionar altos voos se nem dá condições para encontrar os melhores jogadores para a equipa. Contratar por catálogos é um desastre à vista e é preciso uma limpeza na forma de atacar o mercado de transferências.

 

Está na hora de acordar para o século XXI.

 

“Visto da Descoberta” é o editorial da Comunidade Azul-Grená. Às quartas-feiras, é comentado um tema do dia-a-dia do Grupo Desportivo de Chaves.

2 COMMENTS

  1. Isto so vem por nu a incompetência do scauting no clube facam uma limpeza nesse departamento no final da época e comecem do 0 porque assim nao vamos lá.

  2. É realmente o que se esta a passar no Desportivo,sucessivas contrações sem nexo,João Alves e não só, que podiam ajudar e muito o Desportivo nesse sentido,mas infelismente à alguem com dinheiro que só ve futebol de play station

COMENTA ESTE ARTIGO

O seu endereço de email não será publicado.