Crónicas do Topo Sul

Rio Ave 1-0 GD Chaves: Com uma finalização tão pobre, como se podem conquistar pontos?

Desportivo saiu vergado a mais uma derrota fora de portas, desta feita em Vila do Conde, num jogo em que o Chaves apenas rematou duas vezes à baliza e atirou 10 vezes a bola para longe do golo.

 

Continua a ser uma dor de cabeça para o Desportivo de Chaves ir ao estádio dos Arcos. Depois da derrota na época passada e do empate no ano de regresso à Primeira, o conjunto azul-grená voltou a sair vergado a uma derrota de Vila do Conde, com uma exibição decente da parte dos transmontanos mas que não foi suficiente para bater o adversário, também muito por causa das dificuldades na finalização dos homens de Daniel Ramos.

 

À partida para o encontro, várias novidades no onze com a entrada de Nuno André Coelho, Avto e um recuperado Paulinho para a equipa azul-grená. A primeira parte começou logo com um calafrio para os vários adeptos flavienses na bancada, com Carlos Vinícius a rematar para o fundo das redes de Ricardo, mas com o lance anulado por fora-de-jogo. De resto, o primeiro tempo não foi o mais abundante em oportunidades, mas ainda se destacam um cabeceamento que saiu ligeiramente por cima de Nuno André Coelho, além de um remate em esforço de Ghazaryan aos 34 minutos que acabou por sair bastante torto, enquanto que do outro lado foi o central Borevkovic a criar algum perigo de cabeça, mas Ricardo estava bem colocado.

 

Acertar com a baliza foi o grande calcanhar de aquiles do Desportivo nesta partida e acabou por revelar as grandes dificuldades em causar perigo sempre que se chegava ao último terço do terreno. Na segunda parte mais do mesmo, com muitas bolas a saírem por cima e com a equipa a procurar o cruzamento quando não havia vantagem no jogo aéreo na área do Rio Ave, daí que só Avto, o único extremo que não procurou tanto o cruzamento, tenha criado perigo. A única oportunidade digna desse nome acabou por sair dos pés de Nuno Coelho quando, após um canto, recebeu um ressalto dentro da área e atirou forte, mas o corte na altura certa impediu o golo.

 

Não marcou o Chaves, marcou o Rio Ave. O técnico dos locais lançou Gélson Dala e o angolano fez uma bela assistência para Galeno, que meteu a quinta, deixou os centrais flavienses para trás e rematou sem hipóteses para Ricardo. Balde de água fria que ficou pior quando aos 73 minutos Carlos Vinícius voltou a colocar a bola no fundo das redes, mas o lance foi anulado pelo VAR por fora-de-jogo outra vez. Até final, só o entrado André Luís conseguiu criar perigo de cabeça, mas esse acabou por ser o único lance de registo numa altura em que a equipa do Chaves devia ter ido com tudo contra o Rio Ave, mas assim não aconteceu.

 

Com esta derrota o Desportivo fica em 12º lugar com apenas sete pontos em oito jogo. Na próxima jornada, finalmente volta a casa, para defrontar o lanterna vermelha Desp. Aves.

LEAVE A RESPONSE

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *