Crónicas do Topo Sul

Sp. Braga 2-1 GD Chaves: Autocarro madrugador custa pontos na pedreira

Foto: Joaquim Lima

Desportivo tentou “fechar a porta” a meia-hora do fim e acabou por cortar o sangue à boa exibição que vinha a fazer.

 

Sabor agrídoce nos adeptos flavienses após uma derrota tardia frente ao sempre difícil Sporting de Braga. Os comandados de Tiago Fernandes jogaram olhos nos olhos contra o arsenalistas e conseguiram colocar-se na frente do marcador, mas acabaram por consentir a reviravolta já perto do minuto 90. Para o duelo contra o terceiro classificado, Tiago Fernandes procedeu a quatro mudanças no onze inicial, com Lionn, Luís Martins, Erdem Sen e Niltinho a regressarem à titularidade.

 

Acabou por durar pouco tempo o regresso ao onze de Lionn, com o lateral a sair lesionado logo aos 10 minutos após uma entrada agressiva de Raúl Silva, que não foi punida pelo árbitro Hugo Miguel. Sem o brasileiro, Tiago Fernandes viu-se obrigado a lançar Paulinho, queimando uma substituição prematuramente. Quanto ao futebol jogado, o Braga causou logo calafrios no primeiro minuto, com uma bola ao poste numa recarga de Ricardo Horta, enquanto aos 28 minutos um cruzamento de Fransérgio foi desviado por Campi para a própria baliza, mas António Filipe estava atento. Apesar das oportunidades dos locais, o Desportivo foi conseguindo suster a qualidade bracarense e manteve algum equilíbrio no primeira tempo.

 

Na segunda parte o Chaves apareceu mais assertivo na procura de algo mais do encontro e conseguiu mesmo chegar ao golo aos 51 minutos, com uma excelente jogada coletiva a culminar num remate de Niltinho para defesa de Tiago Sá, com Luís Martins a inaugurar o marcador na recarga e a estrear-se a marcar com a camisola azul-grená. O Braga foi atrás do prejuízo e foi causando perigo na área flaviense, mas aos 62 minutos o jogo muda com a entrada de Calasan, numa procura de Tiago Fernandes dar mais controlo à defesa, mas cedo o tiro saiu pela culatra quando Dyego Souza conseguiu chegar ao empate aos 64′, com Sequeira a conseguir um cruzamento na ressaca e o avançado a cabecear à baliza. Empatado e com o controlo dos três pontos por água abaixo, o Chaves ficou às aranhas enquanto os bracarenses aumentavam a pressão e acabaram por chegar à reviravolta aos 80 minutos, quando um livre é desviado por Sen, que deixa isolado Claudemir para fazer o segundo golo.

 

A perder, o Desportivo ainda contou com um último suspiro na luta por pontos, mas um grande remate de Bruno Gallo na última jogada do encontro saiu ligeiramente ao lado da baliza, punindo a turma de Tiago Fernandes por, possivelmente, procurar estacionar o autocarro demasiado cedo.

 

Declarações dos Intervenientes

 

Tiago Fernandes: “Faltam muitas finais. Estamos a dois pontos da linha de água e temos de encarar todos os jogos como encarámos este: como uma final”

COMENTA ESTE ARTIGO

O seu endereço de email não será publicado.