Crónicas do Topo Sul

Moreirense 0-1 GD Chaves: Rei Maras aproxima flavienses dos lugares de salvação

Fonte: Liga Portugal

 

Os Valentes Transmontanos ganharam nova vida para a reta final da Primeira Liga. Após o inesperado triunfo do Desp. Aves frente ao Vitória SC, o Chaves sabia que uma derrota em Moreira de Cónegos poderia colocar em causa as possibilidades de manutenção nas quatro jornadas que restam do campeonato, mas a custo de muito sangue, suor e lágrimas os comandados de José Mota conseguiram triunfar na casa da equipa-sensação desta temporada, o Moreirense. Com as ausências por castigo de André Luís e Luther Singh, o Desportivo apresentou-se no Minho com William na frente de ataque e uma novidade na ala: João Teixeira, titular pela primeira vez esta temporada e a afastar um longo calvário por lesão.

 

Mas o jogo foi tudo menos fácil. O Moreirense sabia que uma vitória consolidaria o conjunto de Ivo Vieira em lugares europeus e, a jogar em casa, a equipa-sensação não queria ser surpreendida pela desilusão do campeonato. Não surpreendeu, então, que os locais ficassem por cima na primeira parte, com uma primeira oportunidade de perigo logo aos 15 minutos, mas Pedro Nuno, a aproveitar uma bola alta na área, não conseguiu desviar em condições para a baliza, com António Filipe a agarrar a bola sem dificuldade. Pressionou novamente o Moreirense, desta vez com Heriberto a tentar o remate de longe, mas o guardião flaviense estava atento. O Desportivo de Chaves só conseguiu responder aos 35 minutos, com um cruzamento na esquerda de João Teixeira a chegar ao primeiro poste, onde William não conseguiu desviar em condições para a baliza.

 

À beira do intervalo, nova oportunidade para os locais, com um cruzamento na direita a chegar à cabeça de Ibrahim, mas a bola voltou a ir à figura de António Filipe, sempre bastante seguro durante o encontro. Com o árbitro a indicar o caminho para os balneários, o Chaves ia para o descanso com um empate a zero, mas a querer sair de Moreira de Cónegos com algo mais que apenas um empate.

 

Central sérvio voltou a ser decisivo, garantindo a segunda vitória da era José Mota Fonte: Liga Portugal

 

Na segunda parte, a primeira oportunidade voltou a pertencer aos locais, com Arsénio a assistir desde a direita Heriberto, mas o atacante tentou fazer um chapéu com um toque subtil e a bola acabou por sair por cima. O Chaves precisou saber sofrer para contrariar as várias investidas do Moreirense e contou com a sorte do seu lado, numa das poucas vezes em que os “Deuses” se colocaram do lado dos Valentes Transmontanos em 2018/19, com Nenê a aparecer sozinho na grande área mas a cabecear mal e ao lado, perdendo-se uma oportunidade soberana de inaugurar o marcador.

 

Partiu para cima o Desportivo de Chaves, aproveitando algum desgaste nos cónegos para visar a baliza do jovem Nuno Macedo, com Bruno Gallo a recuperar a bola a meio-campo, passá-la a Ghazaryan – entrado no segundo tempo – e o arménio devolveu para o brasileiro rematar de fora da área, mas à figura do guarda-redes. Seguiu-se, aos 72 minutos, o momento de êxtase para os mais de 500 adeptos flavienses no topo sul do Estádio Comendador Joaquim de Almeida Freitas, com Ghazaryan a bater um livre na esquerda para o segundo poste, onde apareceu nas alturas o colosso Nikola Maras a desviar de cabeça para o fundo das redes, levando à loucura os Valentes Transmontanos que disseram “presente”.

 

Pouco conseguiu o Moreirense fazer para responder e o Desportivo de Chaves conseguiu, finalmente, voltar às vitórias, com Nikola Maras a voltar a ser imperial na luta pela manutenção e, quer a defender, quer a atacar, ser essencial na equipa azul-grená. Com este triunfo, o Chaves sai do penúltimo lugar – oferecendo-o ao Nacional, próximo adversário – mas continua em zona de despromoção, a apenas três pontos do Tondela, oponente na última jornada do campeonato.

 

ONZES INICIAIS E SUBSTITUIÇÕES

 

Moreirense: N. Macedo, A. D’Alberto, Iago Santos, R. Halliche, F. Pacheco (Nenê, 64′), I. Camara (L. Rodrigues, 46′), Chiquinho, A. Neto, Arsénio, Pedro Nuno (B. Aouacheria, 78′), Heriberto

 

GD Chaves: António Filipe, Lionn, N. Maras, G. Campi, Djavan, Jefferson, B. Gallo, Bressan (Ghazaryan, 57′), J. Teixeira (R. Macedo, 70′), Niltinho (E. Sen, 77′), William

LEAVE A RESPONSE

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *